Hubstaff
Clientes

Um Freelancer é como um Sócio

Cada vez mais é importante definir relacionamentos de trabalho de sucesso por forma a que ambas as partes tenham bons resultados e, desta forma, o consumidor tenha uma boa experiência e produto final.

Eu considero-me uma felizarda quando penso na minha experiência profissional e percebo que já passei por todas as partes e que posso hoje em dia falar tendo em conta cada uma delas.

Tendo começado a trabalhar aos 16 anos, fui trabalhadora por conta de outrem, “filha do patrão”, hoje sou trabalhadora independente e fui toda a minha vida uma consumidora.

Em todos os papeis sei qual é o “meu lugar”, no entanto também percebo que não é por isso que sou mais ou menos do que ninguém e luto para ser tratada da mesma forma que trato os outros que me rodeiam.

Como tal, e nos dias de hoje, fico ainda hoje espantada com a forma como alguns relacionamentos de trabalho são e como as pessoas envolvidas acabam por estar “cegas” para verem o como isso pode influenciar o resultado final.

Hoje escrevo sobre os relacionamentos de trabalho como forma de exprimir a minha opinião, experiência e até mesmo como um conselho para todos os clientes/empresários que tenham a oportunidade de ler este artigo.

Digamos que é como se fosse uma carta aberta que espero que mude algumas formas de ver os relacionamentos em ambiente de trabalho.

Relacionamentos de Trabalho

É sabido que qualquer empresa ou mesmo relacionamento de trabalho tem de certa forma uma hierarquia, tanto em papel como na realidade, que deverá ser tida em conta e respeitada. Afinal de contas, cada pessoa tem o seu papel, os seus conhecimentos e experiência que devem de ser tidos em conta nos relacionamentos de trabalho.

Book Gift - www.wook.pt

Existirá sempre alguém na cadeia que dará as ordens e distribuirá o trabalho até que chega ao topo da pirâmide e encontraremos o chefe máximo que decide o que a empresa faz e como faz.

Mas todos esses níveis têm a sua importância quanto ao todo da empresa e de como esta apresentará o seu produto final ao consumidor, seja este qual for e de que tipo for.

E todos os empresários têm um objetivo, providenciar um produto ou serviço que outros precisam, com boa qualidade e que seja rentável.

Para que tal aconteça, é necessário ter bons relacionamentos dentro da empresa, desde a base da pirâmide até ao topo.

É altura de mudar mentalidades

Apesar de os tempos serem outros e realmente se notar diferenças nos relacionamentos de trabalho, talvez por serem gerações diferentes ou por se ter mais conhecimentos do que outros usam e como isso pode ser benéfico, ainda existe quem pense que o dinheiro é que manda e quem paga é que tem toda a razão.

Como trabalhadora online, por exemplo, por vezes me surpreendo com a forma como clientes abordam freelancers e como este colocam as suas ofertas online. Sou grata pelo facto de que não é a maioria, mas me espanta que tais mentalidades ainda existam.

Está na hora de mudar! E acredita quando digo que só tens a ganhar.

Todos nós somos trabalhadores, clientes, consumidores, empresários de uma forma ou de outra, em uma dada área ou em outra, basta pensar bem nas situações e perceber que trabalhando em conjunto dado aquilo que cada um tem de único é a chave para o sucesso.

É apenas preciso manter em mente que tu também te encontras no papel do outro, apenas poderá sem em momentos ou situações diferentes.

Se trabalharmos todos em conjunto, sem olhar para o outro como alguém em posição inferior ou superior, como alguém indispensável ou não, o resultado final será o melhor de todos!

Situações que podes mudar

Existem várias situações que se forem lidadas de forma diferente todos ganham e em especial o empresário. Vamos em seguida analisar algumas situações que se, como empresário(a) ou mesmo cliente, as vires de forma diferente serás muito mais bem-sucedido(a).

“Eu preciso disto feito para ontem”
Free Delivery on all Books at the Book Depository

Muitas vezes são delegadas tarefas ou projetos à última da hora e que se espera que sejam feitas imediata e rapidamente. O que acontece, nestes casos, é que muito raramente o trabalho sai a tempo ou bem feito. E muitas vezes a culpa é passada para o trabalhador que não foi capaz de o fazer a tempo.

Na realidade, esta situação não demonstra que quem a executou, ou tentou executar, errou ou falhou, mostra sim que quem delegou não teve a capacidade de gestão e planeamento necessária para esta situação.

E se te tivesses sentado com essa pessoa e tivessem trabalhado em conjunto? Afinal de contas, podem acontecer coisas inesperadas, situação de urgência em que é preciso agir na hora. Mas sem dúvida que se tivesses te sentado com o trabalhador em questão e os dois dessem o seu melhor, seria bem mais provável que o resultado final fosse mais positivo e menos estressante.

Acabarias por mostrar melhor capacidade de liderança e em vez de delegares, estarias a trabalhar em conjunto.

“Eu quero isto feito desta forma e ponto final”

Seja porque acreditas que tens o dinheiro mandas e ponto, ou porque tu sempre fizeste assim, não há mais nada a falar, a verdade é que esta forma de pensar e lidar com quem trabalha contigo não é produtiva ou lucrativa.

Quando contratas alguém para trabalhar contigo existem duas possibilidades, ou estes têm experiência e conhecimentos ou não os têm. Se não têm, será lhes dado os conhecimentos para que possam exercer as suas funções.

No entanto, ambos, com o passar do tempo vão melhorando os seus conhecimentos, vão aprendendo coisas novas e até ficam a saber de soluções no mercado que podem complementar aquilo que queres fazer e que nem sabias que poderia ajudar.

Dar ouvidos a sugestões ou ideias vindas daqueles que trabalham contigo, não faz mal e não desvaloriza a tua experiência ou conhecimento. Muito pelo contrário, as sugestões ou ideias podem ser grandes ajudas e melhorar algo.

Só as tens de ver como um complemento e não uma ameaça. E faz saber à pessoa que deu a ideia ou sugestão de que estás grato(a) e de que esta pessoa é uma mais-valia na empresa.

Claro que poderão existir más ideias e sugestões, mas deixa a “porta aberta” para que todos possam sugerir novas e melhores soluções ou formas de trabalho, seja em que área for.

“Eles precisam mais de mim do que eu deles”

Será que é mesmo assim? Achas mesmo que quem trabalha as pessoas com quem trabalhas têm assim tanto amor ao salário que recebem que farão de tudo para se manterem a trabalhar?

A verdade é que o mercado de trabalho, mesmo difícil, é existente e muitos são os que preferem ir atrás de outro trabalho do que se submeterem a certas coisas.

Para além de que, é bem provável que acabes por ter pessoas a trabalharem contigo sem qualquer motivação ou ambição, o que não é bom para ti ou para o teu negócio.

Sem motivação o trabalho não é bem feito, novas ideias ou sugestões não são dadas, e tudo isso porque o trabalhador não quer saber! Existe um contrato que diz que ele tem de fazer certas coisas e que tem direito a receber “x” por isso. Desde que ele faça o que está no contrato, não há justa causa para despedir e tu acabas por ter de lhe pagar até que ele encontre outro trabalho.

Nesta situação me parece que quem tem mais a perder é quem paga. E não conte com esta pessoa para horas extra ou boas ideias.

Ideias que te podem ajudar a criar bons relacionamentos de trabalho

Hubstaff

Existem coisas que podes fazer por forma a ter bons resultados e seres um(a) empresário(a) de sucesso, com uma empresa que funciona da melhor forma possível e com uma visão para o futuro:

  • Quando entras no escritório, não ignores quem trabalha contigo. Seja a “Senhora das Limpezas” ou a tua Assistente, dá os bons-dias, agradece se te ajudam ou te servem um café. Esses pequenos gestos de “boas-maneiras” podem aumentar a motivação de qualquer um.
  • Deixa todos saberem que, independente do seu posto na empresa, podem dar sugestões ou ideias e informa como o devem fazer. Talvez tenhas um dia em que fazes uma reunião com o pessoal por forma a estes poderem se expressar, ou cria um endereço de email interno para onde podem enviar as suas ideias, que num dado dia tu vês e chamas aqueles que te interessarem para exporem os detalhes.
  • Reconhece o valor e esforço quando um trabalho é bem feito. É importante que se diga quando algo é bem feito.
  • Aprende a fazer críticas construtivas. Algo correu mal, por esta razão, mas poderás fazer desta forma e assim tudo correrá melhor.
  • Dá o exemplo. Se queres que algo seja feito para ontem, junta-te à equipa e mostra que em conjunto será mais fácil que algo aconteça.
  • Reconhece se estiveres errado, pois isso mostra humildade e maturidade.
  • Percebe que as pessoas trabalham contigo e não para ti. Uma equipe é mais forte do que uma pessoa só.
  • Não trates os outros como inferiores, mas sim como iguais. Dá o respeito e a apreciação que queres receber. A verdade é que sem os trabalhadores não terás o sucesso que procuras.

Um Freelancer é como um Sócio

Esta frase deverá ser o teu mantra mesmo que não sejam trabalhadores independentes. Afinal de contas, seja por conta própria ou dependente, cada trabalhador tem as suas qualidades, conhecimentos, experiências e habilidades, que são úteis para atingires os teus objetivos finais.

A conclusão é simples, olha para a tua empresa como um conjunto de sócios que independentemente do que cada um traz para a empresa, todos têm o seu valor e são importantes à sua maneira.

Desde que se respeitem e haja limites e noção do que cada um pode dar, só tens a ganhar e seja qual for o produto ou serviço que prestes ao consumidor final, este terá uma qualidade diferente que fará com que mais e mais queira comprar/contratar.

Até porque algo que vende muito bem é uma marca com um bom nome e um bom produto ou serviço. E ambos são criados por todas as partes que integram a empresa em si.

  • 3
    Shares

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.